sexta-feira, 15 de maio de 2015

Inicio de Nova Temporada de Pesca 2 ª Parte

Manutenção de canas e carretos 

Os Carretos




Os carretos seja qual for o género, temos em mãos um sistema mecânico com grande evolução principalmente nos últimos anos, que tem evoluído para satisfazer o estilo de pesca de cada pescador. Possui alavancas, rodas dentadas, veios e um número cada vez maior de rolamentos. Tudo isto como qualquer conjunto de peças em movimento tem desgaste, que apenas se consegue minimizar através da manutenção e limpeza. No caso dos carretos utilizados no mar a situação é mais delicada, a areia e o sal são os maiores inimigos.


Com a areia devemos ter o maior cuidado, pois pode danificar as engrenagens e a pintura, inutilizando – o e até cessar a jornada de pesca, o sal esse não o conseguimos evitar porque é transportado pela água em cada volta de linha que recuperamos. Nos carretos usados em água salgada apenas as bobines são lavadas por imersão em água doce, previamente retiradas, para dissolver o sal entranhado na linha.


Há muitos pescadores que lavam os carretos todos em água corrente, essa ideia nos dia de hoje não é um procedimento recomendado pelos fabricantes, inúmeros rolamentos, molas e outros mecanismos mais delicados em contacto com a água deterioram se. Assim os carretos devem ser limpos apenas com um pano molhado em todo o seu exterior e se for preciso com ajuda de um pincel remove se as areias e outros. Depois de limpo e para finalizar há que lubrificar as partes móveis acessíveis: o rodízio guia do fio, as articulações da asa do cesto, o veio da manivela e o veio central (onde encaixa a bobine).A bobine depois de lavada e seca pode ser vaporizada com spray de silicone o que aumenta a fluidez da linha para a próxima jornada e protege a bobine.                      



Sem comentários:

Enviar um comentário