terça-feira, 24 de novembro de 2015

ESTREMOZ: Caça e Pesca




Integrada na Cozinha dos Ganhões, irá decorrer de 27 a 29 de novembro, no Pavilhão C do Parque de Feiras e Exposições de Estremoz, a feira “Estremoz Caça e Pesca” que contará com o seguinte programa:
- 27 de novembro
12h00 – Abertura/Inauguração da feira;
14h00 – “Caça aos Gambuzinos”, atividade dedicada às crianças;
- 17h30 – Exposição de Pombos da Vara;
18h15 – Workshop “Dificuldades para obtenção da Carta de Caçador”;
23h30 – Desfile de Moda “Estremoz Caça e Pesca”, no Pavilhão B.
- 28 de novembro
8h00 – Montaria e Gancho aos Javalis;
12h00 – Workshop de culinária “Estremoz Caça e Pesca”;
14h15 – Convívio “Rota dos Podengos”;
15h00 – Desfile Canino;
-  16h30 – Desfile de treino de cachorros;
17h30 – Exposição de Pombos de Vara.
- 29 de novembro
5h00 – Caçada aos Pombos;
8h30 – II Prova Sto. Huberto Estremoz Caça;
10h00 – Corrida de Galgos;
14h30 – “Criações de Arte e Flecha”;
16h00 – Workshop de Pesca “Preparação de Amostras”;
16h30 – Demonstração de treino de cachorros.
Tal como a Cozinha dos Ganhões o evento tem entrada gratuita e funcionará das 12h00 às 23h00 no sábado e das 11h00 às 23h00 no domingo.
Esta iniciativa é uma organização da Confraria dos Amigos do Campo, com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Bruxelas corta pesca do robalo

 Noticia retirada do correio da manhã  11.11.2015





A Comissão Europeia (CE) quer aumentar a quota de pesca nacional de carapau mas quer reduzir as capturas de robalo, bacalhau e tamboril, entre outros peixes. No caso do robalo, a pesca estará mesmo interdita nos seis primeiros meses do ano. Uma proposta que penaliza a pesca nacional, segundo armadores e pescadores de Quarteira. A proposta de Bruxelas, divulgada esta terça-feira e que vai ser discutida pelos 28 ministros das pescas a 14 dezembro, visa "trazer as unidades populacionais para níveis de rendimento máximo sustentável". As quotas agora propostas têm em conta os pareceres científicos sobre as populações, sublinhando a CE os "níveis críticos" do bacalhau nos mares da Irlanda e a escassez de peixe que também atinge a zona oeste da Escócia. Quanto ao robalo, Bruxelas decidiu mesmo permitir a captura apenas na segunda metade do ano, e ainda assim limitada a uma tonelada por mês para a pesca comercial e apenas um saco para a pesca recreativa





Para Hugo Martins, da Quarpesca – Associação de Armadores e Pescadores de Quarteira, a proposta "é muito penalizadora para quem pratica pesca artesanal e usa arte do tresmalho, que serve para apanhar robalo, o que acontece principalmente nos meses de dezembro e janeiro". Por outro lado, a subida de quota (no caso concreto do carapau) não é representativa, nem é desejável. "Os pescadores só se voltam mais para o carapau devido à redução da quota de sardinha e uma subida da quota de carapau pode servir para desvalorizar ainda mais o preço de venda", sublinha ao CM Hugo Martins. 






Segundo a notícia a pesca ao robalo para fins comerciais ou seja para pescadores Lúdicos só é possível a partir do segundo semestre de 2016 e apenas um SACO !!!!!
Será que alguém sabe o que  isto de um  saco quer dizer !
Aguardemos por novas decisões ......................

sábado, 31 de outubro de 2015

Medidas legais de captura

O estabelecimento de um tamanho mínimo é uma das medidas de gestão dos recursos mais importantes. Um dos seus objectivos é assegurar que não são capturados juvenis, ou seja, que estas espécies têm a possibilidade de se reproduzir antes de serem capturadas e consumidas.


 Como se faz para medir:



Quais as medidas legais de captura 










terça-feira, 20 de outubro de 2015

Antes da tempestade

Andava-mos há muito a combinar uma pescaria às Berlengas, juntamos um grupo e lá combinamos tudo, carros, barco, dormida, iscos e outro, mas por força da natureza e da grande instabilidade do tempo esta foi adiada.

Para o fim-de-semana programado as previsões eram péssimas, ventos na casa dos 80km e muita chuva (o que se veio a registar).



Com tudo cancelado e algum isco já comprado pois devido á grande instabilidade e ao optimismo de alguns ( pois para nós pescadores nem que chova picaretos , tá bom para a pesca !!)Tinha mos que ir gastá-lo . Como no dia anterior á tempestade as condições ainda eram favoráveis , eu o Calita e o Fisgo fomos até um spot que anteriormente tinha mos apanhado uns peixes .
O mar nesse dia estava muito bom , mar mexido , águas semi tapadas , pouco vento estavam umas condições porreiras.
Ainda estava eu a montar a cana , já o Fisgo tinha apanhado o primeiro .  --Possa engoliu o anzol ! disse o Fisgo todo contente .E lá continuamos a sacar de vez enquanto uns peixes



Com o encher da maré lá foram saindo uns bons sargos , 2  deles acima do 1kg de peso  e para estragar a festa ia mos apanhando uma bogas … enfim . Conclusão foi um dia bem passado com algum peixe á mistura e deu para brincar e divertirmos naquilo que mais gostamos …. Pescar!



Video de algumas capturas







quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Carapaus parte 2 … mas chega de bogas!!



Depois da ultima jornada de pesca aos carapaus ter sido excelente voltei lá outra vez. Segundo as previsões meteorológicas a noite iria ser quente e o mar calmo e eu sem horas para voltar….
Cheguei ao meu spot já era de noite e o meu pesqueiro de eleição já estava ocupado por isso tive de ficar cerca de 20 metros mais ao lado. Montei a cana, uma bóia de 6 gramas e ia estrear o meu novo carreto um Daiwa  triforce 3000. 




Assim que lancei apanhei logo uma boga e a seguir outra, ajustei a profundidade para ver se os carapaus andavam mais no fundo mas continuava apanhar só bogas. Apanhei o meu primeiro carapau passados 2 horas mas já levava mais de 20 bogas de avanço…!!!! Grrrr … praga !!!
Por mais que me esforçasse apenas apanhava bogas, se pusesse estralho curto lá vinha um peixe agulha, já tinha mudado umas 5 vezes de estralho e anzol, até a bóia me partiram.
Os companheiros do lado também não estavam com muita sorte apenas apanhavam bogas , até que resolveram ir embora. Como onde eles estavam é o meu pesqueiro de eleição mudei me para lá . Quando lá cheguei até me assustei  , deixaram o local imundo de bogas mortas , caixas de isco vazias, um emaranhado de linhas e até o casaco lá ficou …. Enfim … os do costume .


Bem recomecei por mudar de boia e estralho e assim que lancei apanhei um carapau   e a seguir outro e mais outro  apanhei logo uns 10 de seguida , nem queria acreditar. Mas as bogas teimavam em não dar descanso , até tainhas nessa noite apanhei .

Com o passar do tempo  ia enchendo o balde  e foi assim até  começar a ficar de dia , apanhei 45 carapaus  , e mais de 50 bogas .  e cheguei á conclusão que entre o pesqueiro inicial e o este ultimo há uma linha linha que separa …. hehehehe.!!!! Até á próxima




Até á próxima


domingo, 13 de setembro de 2015

Tudo na Prefeição ....!!

Este ano  as condições do mar e vento forte que se fez sentir durante quase todo o verão não foram propícias para a pesca ao carapau , pelo menos nos meus spots . Das vezes que fomos  ou o mar estava grande , ou as temperaturas não eram as ideais , ou não havia peixe , apanhamos de tudo.


 Nos anos anteriores cada noite que ia-mos era sempre meio balde no minimo este ano , podiam se contar pelos dedos de uma mão as capturas feitas .
Mas eis que um dia desta semana eu o J.Terrinca e  o Pedro Resende  combinamos uma pesca visto que nesse dia as condições do mar eram mesmo ideais para ir aos carapaus , não havia vento , a ondulação era abaixo do 0.5mt  e estava calor. Estavam reunidas todas as condiçoês de pesca para ser uma boa noite , só faltava mesmo os peixes colaborarem.



 Visto que os locais onde pesco são muito concorridos  ... sabe-se lá porquê !!! hehehe!!
temos sempre que ir cedo  para apanhar o melhor spot e ás vezes já foste !!
Há pessoal pior que nós , mas desta vez não havia ninguém podia mos escolher á vontade até ficamos admirados. Uma vez no spot montamos as canas , preparamos o engodo e iscos e ficamos á espera que anoitecesse   .                                                                                                                    
                           

O mar estava mesmo calmo nem mexia , Estávamos ansiosos para começar . O Pedro foi o ultimo a chegar pois o dever está acima do hobbie e vinha todo contente pois ia estrear uma cana nova .....Depois de alguma conversa e comermos uma bucha começamos a pescar ...Bem a partir daqui não há muito para contar, pois assim que começamos  a pescar começamos logo a tirar carapaus e nunca mais parou .Foi uma loucura por entre carapaus sairam uma bogas pois faz parte da praxe e umas grandes cavalas que dão sempre luta .

E pronto ,esticamos a corda nas horas pois normalmente cerca das 00h30  vamos embora , mas devido á noite estar tão boa continuamos sempre a malhar neles até ás 02h30 .
Conclusão uma boa estreia da cana do Pedro Resende e  cerca de 3 centos de peixes ..





terça-feira, 25 de agosto de 2015

Pesca de verão – Achigãs





Com o começo das férias desde o final de Julho e até  meados de Agosto  a pesca não podia faltar . Em pleno interior Alentejano e com muito calor o spinning aos achigãs é a minha preferida. Este ano houve bastantes capturas e  bons exemplares  , vários a rondar 1 kilo e uma mão cheia a chegar perto dos 2kilos.




. Mas nem sempre queriam o mesmo tipo de amostras ou vinis , hoje  apanhava se com uma, amanhã já não a do dia anterior …. Lá tinha que descobrir o que queriam, mas a pesca é mesmo assim, a arte de enganar o peixe. Esta pesca além de relaxante permite o contacto direto com a natureza  o que ajuda a carregar baterias para enfrentar mais uns meses de trabalho.








 e houve uns que eram bem gulosos comiam com voracidade ...


Peixes bonitos e  saudaveis 


Bons exemplares

 e com os amigos 

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Pesca ao carapau 2ºparte (iscos e engodos)



Depois da mala arrumada com os vários acessórios é tempo de preparar o engodo .O engodo é feito á base de sardinha e restos das entranhas de outros peixes . Quando em casa amanho peixe ,lulas , cavalas  e outros ,guardo  as entranhas e congelo, quando vou preparar o engodo misturo-o  ás sardinhas moídas .



No meu caso levo já o engodo feito para o pesqueiro , inicialmente moia naquelas máquinas manuais de moer a carne , mas com o passar dos anos cansei me e comprei uma eléctrica , que me poupa tempo.
Levo para cada jornada cerca de 2 a 3 kilos de engodo e faço o sempre um a dois dias antes de ir.



Preparação:
Descongelo as sardinhas e restos de outros peixes cerca de 1 hora. Apôs esse tempo trituro tudo para dentro de uma caixa plástica e volto a congelar. No dia em que vou para a pesca retiro o engodo do frio e vai congelado para o pesqueiro …. E porquê ?

Quando chego ao pesqueiro encho o balde de água  e coloco o engodo ainda congelado dentro do balde , este vai ficar a flutuar e a desfazer se lentamente. Na pesca ao carapau o que interessa é o cheiro da sardinha que fica na água ou seja o engodo ao desfazer se apenas turva a água é essa água suja e mal cheirosa assim dizendo que atrai os peixes .A “massa” grossa do engodo que vai descongelando vai acentar no fundo do balde que de vez enquando mexemos e lançamos umas colheradas. É assim, porque, se tivesse mos sempre a mandar “massa” enchia mos a barriga aos carapaus e estes comiam e iam se embora, assim andam por ali a comer apenas o isco e atraídos pelo cheiro.



Outra coisa que devemos ter em atenção é quando lançamos a primeira colher de engodo verificar como este trabalha, ou seja para que lado vai ,isso é muito importante. Também quando os peixes  tiverem manhosos de picar podemos ir ao fundo do balde e lançar uma colher da tal massa para os provoca e obrigar a entrar no pesqueiro.
Devemos de estar sempre a engodar, ou seja de 10 em 10 minutos mais ou menos dependentemente da cadência das capturas, lançar umas colheres de engodo. E quando o balde tiver menos de meio com ajuda da corda e de um outro balde pequeno adicionar mais água ao engodo este método faz com que o engodo dure a noite todo.



ISCOS
Quando a esta matéria é a mais delicada pois vai depender da zona e do costume de cada
Acho que os carapaus pegam com quase tudo o que pusermos no anzol .Sardinha , cavala , boga , frango , camarão , ameijoa branca , peixe agulha e até carapau ou mesmo o aparelho sem isco .


Costumo levar apenas camarão e frango ,depois apanho um peixe agulha escamo-o e faço 2 filetes (com pele)e corto –o aos bocados pequenos de maneira a que apenas tape o anzol. As iscadas devem de ser pequenas o que torna as ferragens mais eficazes. Durante a pesca temos que ir procurando os peixes  , pois nem sempre estão no mesmo nível da água , baixamos a boia o mais possível e depois vamos dado fundura para ver qual a posição que capturamos mais. Se utilizarem sardinha , frango ou ameijoa convém juntar uma mão cheia de sal a estes para os enrijar, pois são iscos moles e com o sal tornam se mais rijos e não caem do anzol ao lançar- mos.

MARES, MARÈS E LUAS




Para esta pesca o ideal é mar chão , aquele mar sem ondas e águas lusas esse é mesmo o ideal , as marés sempre na enchente . Como o carapau encosta á costa sempre ao anoitecer a melhor altura para ir é com  a maré vazia ao anoitecer , Depois fazer a noite com a maré a encher e até nos fartarmos ....Normalmente quando o dia começa a clarear o carapau deixa de dar.
As Luas , a lua cheia é a pior dissem os mais entendidos que espalha o peixe , antigamente podia se pescar com candeeiros perto da água para atrair os carapaus (Hoje em dia esse metodo não é permitido), mas só dava mais resultado em noites sem ou com pouca lua pois a claridade do candeeiro chamava atenção dos peixes. Ou seja as melhores luas são a nova e quartos minguantes , não quer dizer que com as outras fases eles não piquem !!! é preciso é lá ir
O vento , quando está bastante vento também não é bom .




E pronto boas pescas .............!

João Oliveira

PS: esta é a minha maneira de pescar e engodar e partilhei-a á quem pesque e engode de maneira diferente .

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Pesca ao carapau 1º Parte

Aqui vou relatar o essencial para a pesca ao carapau: materiais, montagens, engodos, iscos  e outros, é claro que cada um, dependente da zona e da aprendizagem tenham outros métodos.


O CARAPAU ( Trachurus trachurus)
O trachurus trachurus , vulgarmente conhecido como carapau ou chicharro , é um peixe teleósteo perciforme azulado da família dos carangíndeos .Com um comprimento que pode chegar aos quarenta centímetros, corpo fusiforme magro de 2 dorsais , barbatadas laterais em forma de assa ; linha lateral com grandes escamas pontiagudas que formam uma quilha ao logo do corpo até á barbatana caudal,: Cabeça grande e bicuda e com uma grande boca. Formam grandes cardumes , os adultos alimentam-se de pequenos peixes , crustáceos e moluscos , os mais jovens alimentam –se de plâncton.
È bastante comum no Oceano Atlántico a partir do norte da costa do Senegal até a Islándia  e por todo o Mediterraneo.
O carapau é a 3ª espécie mais capturada na costa portuguesa , é na pesca de arrasto que prevalece como maior captura nas zonas Norte , Centro e Algarve.
O carapau começa a dar a partir de meados de Maio principio de junho e vai até novembro consoante as temperaturas e o estado do mar.



Canas e Carretos
As Canas devem ser ligeiras e telescópicas (facilita o transporte) entre os 4 e os 5 metros de comprimento, a acção entre 20g-60g ou 10g-80g. Hoje em dia o mercado tem uma grande variedade de canas ligeiras/boia  com preços para todos os gostos  , algumas com grande qualidade  e preços acessíveis. Em caso de dúvidas consulte o vendedor de uma loja de pesca que o aconselhará a mais adequada.


Os Carretos não precisam se ser top, qualquer modelo 3000 ou 4000 será suficiente, o conjunto  cana mais carreto deve ser o mais equilibrado possível. Deve ter um bom enrolamento , alguma capacidade de linha ,boa recuperação e uma boa manutenção .

Caixa e acessórios
Para esta pesca é preciso uma caixa parecida com a da figura com pouca coisa



.Fios entre  0.20/0.25(bobine para estralhos)
.Boias de 4 a 8 gramas
.Anzois  nº  6 a nº8 finos tipo agulha
.Chumbos/ olivetis  de 2 a 6 gramas
.Faca / canivete
.Alicate / desembuchador
.Tesoura
.Starlights
.Montagens (4 ou 5 já feitas)

Além destes acessórios também é preciso uma lanterna e pilhas suplentes , uma corda para tirar água ,uma colher para lançar o engodo ,2 baldes um grande para o engodo e um pequeno para ir enchendo o do engodo. Há que utilize luvas, convém levar panos e sacos para o Lixo.

Fios
A Linha do carreto pode ir de 0.20 até 0.30, há quem pesque fino sem estralho de anzol, chamada a pesca directa, eu normalmente pesco com 0.25 no carreto e os estralhos variam entre o 0.18 e 0.24 dependente se há muita cavala ou boga. Estas ultimas são extreminadoras de linhas . De vez enquanto com a mão devemos dar uns puxões no estralho para ver se ainda tem resistência , não vá ceder na ferragem. Para poupar tempo devemos ter sempre 4 ou 5 montagens já feitas, assim aumentamos o tempo de pesca.
As linhas podem ou não ser de fluorcarbono , como esta pesca é quase sempre nocturna ser mono o fluor não faz grande diferença pelo menos é a minha opinião.


As Bóias
As boias tipo caneta são as melhores para esta pesca , mas o formato pode variar , devemos ter umas mais gordas , pois se o mar estiver agitado e um pouco de vento as mais “gordas “ são melhores porque aguentam mais mar . Enquanto as mais finas tem tendência a afundar com a ondulação sendo  instáveis . As gramagens devem variar entre os 4 gramas para mares parados e as 8 ou mesmo 10 gramas para mares 
maiores e com vento.



 Anzóis
Os anzóis é ao gosto de cada, há inúmeras marcas com medidas diferentes nos mesmos tamanhos. Devem-se usar aqueles tipo agulha que ferram melhor para este tipo de pesca. Depois de usar muitas marcas optei pelos Hayabusa EB 11911 nº6 são resistentes e penetrantes.



Montagens
As montagens podem ser simples com um anzol  ou as mais complicadas com vários , como aquelas que se se vendem nas lojas de pesca a que chamamos de aparelho.Já experimentei algumas ,nunca tive grande sucesso . Para os menos experientes convém começar com um anzol apenas , depois com o evoluir pode usar com 2 ou 3.


 Já ficamos com uma ideia do material a usar e como fazer , na segunda parte falarei do engodo , como fazer e os iscos .