segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

POTENZA O FIO DOS CAMPEÕES MUNDIAIS!



Está confirmado: foi com o POTENZA BRAIDED LINE que Joaquim Moio capturou o maior exemplar do Mundial de Pesca Embarcada ao Achigã — um monstro de 5.1 kg!



O sensacional exemplar, que chamou as atenções de alguns dos melhores pescadores de todo o mundo no Campeonato do México, era forte o bastante para destruir qualquer linha normal.
Ainda para mais, o local da captura, no lago Guerrero, era riquíssimo em obstáculos que o peixe podia utilizar para partir a linha e escapar.
Além disso, o agora campeão mundial fechou a embraiagem do seu carreto, para não dar quaisquer folgas ao peixe, o que aumentou ainda mais as tensões extremas a que a linha já estava sujeita.
Ainda assim, o fio não deu hipóteses ao monstro de 5.1 kg que viria a revelar-se o maior exemplar do Mundial, um importantíssimo contributo para o título que a dupla Joaquim Moio / João Grosso conquistaria e para a extraordinária vitória colectiva da Selecção Portuguesa.


Conta o próprio pescador: 
«No momento em que ferrei este peixe, percebi imediatamente que era a hora da verdade, que ia ser caso sério. Mas fiquei tranquilo, já conhecia a linha que tinha montada no carreto, já pesquei com ela muitas vezes», contou. «É uma linha excepcional, que sempre me deu total segurança!». 
A satisfação de Joaquim Moio com o POTENZA BRAIDED LINE não se fica por aqui. Este experiente pescador conta ainda que a linha passou o teste mais difícil de todos: «Depois de um lance destes, em passou por tudo… a linha não ficou de todo melindrada! Logo a seguir a este lance, nem precisei de a trocar, voltou a pescar! Examinei-a e estava e perfeito estado. Estamos a falar de um fio com um diâmetro bastante fino, um 0.28, que teve exactamente o mesmo desempenho nas capturas seguintes!». 


Está disponível numa impressionante variedade de diâmetros, entre 0.12 e 0.42, o que significa que qualquer pescador, seja de água doce ou salgada, com amostras ou iscos naturais, encontrará sempre circunstâncias para esta excelente linha mostrar serviço:

Outra particularidade é a apresentação: as bobines de 100 m estão enroladas em contínuo, o que significa que um pescador que queira encher o seu carreto com mais de 200 m, por exemplo, de um dado diâmetro, pode comprar duas bobines, pois não terá de se preocupar em fazer nós a cada 100 m. Um cuidado que aumenta ainda mais a segurança com que se pesca.



Mais um post com o patrocinio da :

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

7 DICAS ESSENCIAIS PARA ESCOLHER A SUA PRÓXIMA CANA

Objecto de muita ponderação, consultas e debates, a escolha de uma cana é sempre um momento importante para um pescador. Talvez estas dicas práticas ajudem!
Com centenas de modelos ao dispor, semelhantes nuns pontos e diferentes noutros, como escolher a cana certa para a sua pesca?

1. Estabeleça relações de confiança com a sua loja
O seu lojista conhece as características e os preços de dezenas de modelos e, em muitos casos, até sabe bastante sobre os locais onde pesca e a utilização que vai dar à sua cana. Procure estabelecer uma relação de proximidade com ele, informe-o com à vontade sobre as suas necessidades e preferências e escute as sugestões que ele lhe oferece. 
Um lojista está, normalmente, a par da pesca de dezenas ou talvez centenas de clientes e tem interesse em ter a sua visita na loja muitas vezes, por isso fará tudo o que puder para o aconselhar correctamente, não apenas sobre marcas, mas também sobre modelos, comprimentos, acções, preços, etc. Ouvir a opinião de uma pessoa que lida com pesca o dia inteiro é uma grande ajuda. Se pensa que é o único cliente da loja que vai a tal pesqueiro, lançar a tantos metros com tais chumbadas em tal tipo de fundo e tal correnteza, desengane-se…

2. Tenha o seu orçamento bem presente
Talvez o maior segredo para ficar satisfeito com a cana escolhida seja definir o montante que quer gastar… e depois não fugir muito dele. Qualquer lojista tem as canas arrumadas por preço — seja na sua mente, seja nos expositores da loja — e ficará grato se não dedicar parte do tempo a mostrar-lhe canas de 300 € quando o seu orçamento se situa nos 100, por exemplo (ou vice-versa: se vem com a ideia de adquirir uma cana ‘de luxo’, porquê perder o seu tempo a ver canas mais ‘modestas’?).
Claro que o lojista pode sugerir canas que passem um pouco o limite que indicar, mas isso será, em princípio, por levar em conta a pesca que o cliente vai fazer — mais vale ultrapassar um pouco o orçamento e ficar com uma cana que dure várias temporadas ou que seja mais confortável, por exemplo.


3. Onde vai transportar a sua cana?
Se tem uma carrinha de caixa grande para ir para a pesca, pode passar este ponto! Mas todos os outros pescadores precisam de ver onde vão transportar o seu material. Todos conhecemos as vantagens de uma cana inteiriça ou de um tubo rígido, mas se o veículo com que vai pescar não tiver onde os transportar, talvez seja bom escolher outro modelo…
4. Experimente com canas de amigos
Quanto mais experiência tiver na pesca, mais especializado estará, em princípio, em canas de um determinado comprimento, com determinada acção, com a mesma potência de lançamento, etc. Por regra, cada pescador escolhe canas com as características a que se habituou e as que adquirir em seguida serão quase sempre semelhantes. 
Isso aumenta o risco de o deixar desactualizado em relação às condições da pesca (por exemplo, se dada zona de pesca passou a ter mais correnteza, ou maior profundidade, ou a ser frequentada por peixes de outra espécie ou de tamanho diferente do habitual) ou às evoluções do mercado 
(imagine que as canas mais curtas da sua disciplina eram mais rijas mas, com a introdução de um novo modelo, são agora mais sensíveis; ou imagine que as mais longas eram demasiado pesadas mas com uma nova colecção estão agora bastante leves).
O melhor modo de diminuir este risco é aproveitar o seu grupo de amigos e ir testando, com alguns lances, canas um pouco diferentes do habitual. Com isto, não apenas vê, na prática, o que é trabalhar com outras canas, como também aumenta a sua própria versatilidade como pescador. E, quando for hora de adquirir outra cana, fará uma compra mais informada.
5. O hábito de ‘varejar’ na loja
Alguns lojistas não ligam, outros incentivam, outros não apreciam de todo: não há consensos em relação ao hábito dos clientes de ‘varejar’ as canas, montadas, em plena loja. Os pescadores fazem-no, claro, para sentir como a ponteira de comporta e como a pega é confortável, mas o risco de a danificar é grande, principalmente em lojas com pouco espaço.
O modo ideal de avaliar a cana seria com uns bons lançamentos e umas lutas com peixes grandes, mas isso faria com que a cana passasse a ser usada, o que a desvalorizaria de imediato…
Um compromisso mais seguro e eficaz de avaliar a cana, em loja, é pedir ajuda a outra pessoa (em regra, o lojista) que segure na ponteira, enquanto o leitor levanta a cana, aos poucos. O modo como a curvatura vai surgindo, e acaba por se formar, indica claramente se se trata de uma cana com acção de ponteira, parabólica ou algures entre as duas, bem como a sensibilidade que ela transmite e o seu equilíbrio.

​6. A importantíssima assistência técnica



                Por mais cuidadosos que sejamos, há sempre uma altura em que se põe uma cana a fazer o que ela não nasceu para fazer, seja entalá-la na porta do carro, seja deixá-la cair numas pedras, seja esquecer a sua manutenção.
Por mais «alta qualidade» que seja, qualquer 
cana precisa de ter, por trás, uma assistência técnica de confiança, que responda com eficácia e rapidez a qualquer caso de elementos partidos, passadores degradados, etc. Consulte sempre o seu lojista a este respeito, e verá que, neste campo, as marcas não são todas iguais.
7. Nunca parar de procurar
Não existe a cana de pesca universalmente perfeita; cada pescador terá as suas próprias preferências, necessidades e ideias e está ‘condenado’ a ir procurar uma cana que, em cada momento, se adeqúe à sua pesca. E «em cada momento» porque a sensibilidade de cada um também vai mudando, conforme mudam a idade, o peso, a paciência, a pesca, os pesqueiros ou o orçamento.
Considerando a evolução que os materiais da pesca terão nos próximos anos, será bom nunca deixar de estar atento às novidades, para que nas suas jornadas possa contar sempre com canas cada vez mais leves, confortáveis, resistentes e fiáveis. 


Reportagem cedida pela VEGA 


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Barragem dos Minutos em busca dos verdes

Desda vez com o calor que tem feito fomos numa de spinning aos achigãs ... Eu o Cá Rui e o Resende , fomos experimentar a barragem dos minutos.A Barragem dos Minutos fica localizada no rio Almansor perto do Monte dos Minutos. Trata-se de uma barragem de aterro com 34 m de altura e 52 hm3 de capacidade total. O coroamento tem cerca de 1,3 km. Concluída em 2003, a barragem tem como principal função a rega de campos de cultivo.




Chegamos cedo , o tempo estava encoberto  e um pouco de vento , mas estava muito bom. Arrumado o material pussemo nos logo a caminho em direcção aos melhores spots. O Cá Rui logo nos primeiros lançes apanhou ,um .... mas foi um arbusto . 

Esta barragem tem muita vegetação dentro de água , pequenas arvores devoradoras de vinis e amostras !!! Ehehehe...




 Eu também acertei numa mas a custo de um banho fui lá buscá-la , o Cá Rui esse em cada spot deixava um vinil agarrado ás arvores ... para engodo.


O Resende  Lá ia tirando uns peixes , sempre em luta contra o vento . Na  parte da tarde mudamos de margem pois o vento estava de frente , quase não dava para lançar . Na outra extremidade o vento era fraco e proporcionou-nos bons momentos quer de pesca quer de cowboiada .









Os exemplares que capturamos eram todos médios  e ficaram todos onde os encontrarmos para numa próxima visita estarem maiores . Foi um Domingo muito fixe .

Tentamos fazer um video com algumas capturas , mas os verdinhos estavam timidos , e  muitos desferavam -se , mas fica o registo cimatografico .





terça-feira, 14 de outubro de 2014

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Tempo de Pesca



Chegando o Verão a pesca que mais gosto de fazer é aos carapaus, para mim é o peixe ideal, não é preciso escamar, nem amanhar.
Este ano o mar e o tempo não tem ajudado muito, ora chove, as temperaturas estão muito abaixo dos valores normais para esta altura do ano, isto tudo influência a pesca e os peixes.


Os pesqueiros esses continuam imundos de lixo, como é possível aqueles que se intitulam de pescadores, deixarem simplesmente os pesqueiros transformados em autenticas lixeiras !!!! Por vezes fico indignado , com o que vejo e encontro . Almofadas , cadeiras partidas , garrafas de todos os géneros , peixes mortos e em estado de decomposição , caixas, sacos de plásticos aos montes …. etc., etc.…sei lá mais o quê !!! Será difícil a esta gente levar o lixo que faz?


O Team este ano tem pescado apenas da zona do Guincho , umas noites dá bons resultados outros nem por isso . Este ano em relação ao ano anterior os carapaus são maiores. Também as cavalas e as bogas tem sido ás paletes e temos apanhados bastantes Besugos .


Em resumo espero que o tempo melhore , venha mais calor e o pessoal tenha atenção ao lixo deixado nos pesqueiros ….. e boas pescarias



sexta-feira, 13 de junho de 2014

Cinnetic Explorer Seabass 3.30 o teste.....com estreia!

Boas
Nao ha muito tempo adquiri a Cinnetic uma cana que andava de olho e apesar de todos os contratempos com a mesma e ter chegado a pensar que a cana estava amaldiçoada hoje considero uma das melhores compras que fiz.

A cana em si destina-se a um spinning mais pesado, uma cana que a lançar amostras leves não funciona.....mas vinis, amostras pesadas e chivos e um luxo e a sua acção (40/120)diz isso mesmo!!!
Porta carretos fuji......excelente  blank....bons acabamentos.....acho que a única coisa que reflecte os 50€ que a cana custa são os passadores!!!! Fraquinhos lol……mas sempre se podem trocar ou juntar um pouco mais e comprar a versão Black.....já com fuji.
Ouvi dizer que o porta carretos em carretos 4000 tinha folga e não permitia um aperto correto? E os passadores montados lateralmente na espinha do blank?!!!
O que estranho e o porque de usar um carreto desses numa cana assim heavy!!???
Os meus twin power 5000fb ...stradic 5000fb.....ou mesmo o opus bull 5000.....encaixam que nem uma luva!
Quanto ao alinhamento dos passadores na minha tudo parece estar bem! De facto notei que o blank parece querer torcer mas com tanta carga que tinha não sei se será defeito ou feitio! O facto e que aguentou muitoooo bem a luta.....

Mas vamos falar de coisas serias ahahahah
Como o mar nao deixava ir aos carapaus decidimos ir tentar umas corvinas com algum receio ...é que com tanta polémica/confusão enfim.....
5.30 toca o despertador e bora....Cargar,João Oliveira e eu todos a bordo do carro corvineiro ahahah (C3...Corvina+3 passageiros).....o Calita o Fisgo e o Diamantino iam la ter ....
Lançamentos em todas as direçoes mas nada.....fumamos um cigarrito enquanto outros faziam ou desfaziam pulseiras ahahahahah (cabeleiras)...entretanto começamos a ver alguma agitação ....alguém já tinha uma ferrada!!!!!!
 Bora diz o João estão a entrar……...vai de mandar plástico a agua eheheh
De repente zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz o Bull a cantar......e a Cinnetic toda dobrada....como era a estreia da cinnetic e como queria saber o que realmente o blank vale .....apertei o drag eheheheheh e não é que a vara aguentou 5*....Calita com o bicheiro e lá saiu a bela da corvina com 37,8 Kg.....o meu RECORD...

Conclusão uma cana de 50€ como não há no mercado e uma assistência exemplar!!!!!....e quando assim é….ate a pesca corre melhor ;)


Queria deixar aqui umas palavras de agradecimento a SILPRO e ao Sílvio Pinto pelo serviço de assistência da Cinnetic prestado ........fiquei fã.......OBRIGADO.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Vega Opendoor 2014

Em meu nome e do fateixas Team quero agradecer á VEGA a amabilidade do convite enviado para participar no OpenDoor 2014 que se realizou no dia 7 de Junho de  2014




O nosso muito OBRIGADO e que a marca continue em força e satisfaça as necessidades de todos os pescadores com bom material e bons preços .

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Achigãs 2014 o principio


Este ano não fui no primeiro dia , apesar de ter começado numa Sexta – feira e a vontade ser muita, não deu para ir. Mas  fui visitar o sitio onde iria fazer a abertura.



A barragem em questão estava cheia  , apresentava bastante vegetação e viam –se ainda peixes a guardar os ninhos , uma coisa espectacular .

Chegado o dia  de iniciar a abertura , o tempo não estava nas melhores condições , havia muito vento e estava encoberto ( isso era o menos ) , mas fui lá.



Comecei por utilizar uma rã , pois existe um grande manto de ervas a cobrir   a margem . Para meu espanto fiz logo uma captura … espectáculo !!!!
Com o passar do tempo sempre a insistir com a rã e outras ,viam se os achigãs a vir por debaixo da vegetação e atacar , mas sempre em  tentativas falhadas .Decidi então escolher um sitio aberto e tentar uns cranks.Para meu azar os únicos sítios que dava para lançar era de frente para o vento ….. rrsrrssrrsrs, a coisa não estava fácil. A cada 5 lançamentos havia sempre algo a correr mal ,o vento estava a dificultar , ora enleava na ponteira , ora ficava preso nos juncos etc. e etc., fartei me de dizer palavrões.


pronto foi compensatório no meio disto tudo ainda fiz umas 30 capturas , uns com medida acima da média e outros nem por isso , mas deu para matar o vicio e mais uma semana tou lá outra vez ……………


segunda-feira, 12 de maio de 2014

Àguas Interiores – Fim do Defeso





Começas esta semana , mais propriamente dia 16 de Maio  mais uma época de pesca em águas interiores. Para este tipo de pesca também é necessário uma licença que é adquirida no Multibanco , não esquecer que existem medidas legais para as capturas .Há que ter consciência , nem tudo o que vem á rede é peixe , há que devolver á água  as capturas sem medida para assegurar um futuro com peixe.

Medidas e defeso



Para mais esclarecimentos ou dúvidas devem de consultar o site do ICNF- Instituto de conservação da Natureza e das Florestas.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

AONDE ANDAM OS SARGOS??

De manhã cedo, lá combinámos a hora e local de encontro, para mais uma pescaria á procura dos sargos.
Rumámos direitos ao Magoito, com um nevoeiro característico da zona, como já é normal, temperatura amena, e lá fomos á procura dos sargos, que teimam em não aparecer.
Parámos no café para o cafezinho matinal, um cigarrito e lá fomos andando.
Chegados ao local, o mar calmo mas com um toque bom, devido ao período da vaga ser de 14s, o que deixava o mar a trabalhar bem.
Descemos para o pesqueiro e toca de arranjar o material.
Todos motivados, como é costume, cada um escolheu o sitio em que tinha mais fé.
Ao primeiro lançamento, pião na água e ferro logo um sargo...boa, pensei eu, isto começa bem.
Ao segundo lançamento, ferro logo mais um belo sargo, epa eles estão cá.
A partir daí nem mais um toque, ora casulo, ora carangueijo, ora teagem e nada, todos se queixavam.
Vai de mandar algum engodo a ver se o peixe encosta, e nada, muito fraco.
Com o avançar da maré e o peixe teimava em não encostar.


Com o passar do tempo e dá com algumas desistências, uns pela hora outros pelo cansaço, e no pico da maré alguns peixes deram o ar da sua graça, o que animou a malta..



sempre na boa disposição, o Jonnhy, nunca se cansa de incentivar o pessoal..

o Jonnhy ainda sacou este sargo bom, com camarinha.



Ainda tirei também um chicharro, para espanto meu, e devia de andar perdido, pois andava sózinho, para pena minha..



Alguns não se livraram de umas valentes molhas..ehehehe



No fim do dia, o peixe era muito pouco, mas como sempre valeu pelo dia bem passado..esperando que mais dias de pesca como este se repitam, e se houver mais peixe melhor.

Abraço a todos e boas pescarias por aí fora..















terça-feira, 8 de abril de 2014

4ª Feira de Pesca de Setubal




A Câmara Municipal de Setúbal, com o apoio das Águas do Sado e no enquadramento da 12ª. Edição do seu projeto Jogos do Sado vai organizar, no Parque Urbano de Albarquel, a 4.ª Feira de Pesca Lúdica e Desportiva de Setúbal que manterá o seu conceito inicial – Feira interativa de pescadores para pescadores.
A pesca, na sua vertente desportiva e de lazer, conta com largas centenas de milhares de praticantes em Portugal.
O elevado número de praticantes, a quantidade de agentes que a ela se dedicam na cidade e concelho de Setúbal e as condições de estuário e mar que se podem oferecer, inclusive as existentes no recinto da feira – Parque Urbano de Albarquel – justificam, tanto a realização do evento, quanto o conceito aplicado.
A edilidade, dentro das suas possibilidades, tem vindo a criar condições para uma interação prática entre importadores, lojistas, clubes, associações, federações, sites/fóruns, revistas da especialidade e pescadores das mais variadas técnicas, essencialmente direcionadas para a pesca em estuário e mar.
A componente de exposição alargada de Náutica de Recreio (embarcações, motores; novos e usados) projeta-se também nesta edição com um alargamento significativo.
Estrategicamente e considerando o sucesso das anteriores edições, a todos os intervenientes será possível interagir através de testes de materiais, concursos de pesca, abertos a atletas federados e não federados, assim como debates, palestras e workshops que decorrerão ao longo dos dias de realização, permitindo aos munícipes e a todos os pescadores nacionais interessados, participarem de forma alargada neste evento que se pretende, venha a tornar-se num dos mais importantes do país, nas áreas da Pesca Lúdica, Desportiva e Náutica de Recreio.
A Feira terá a sua abertura às 18.00 horas, de dia 24 de Abril, com receção aos expositores, festa e animação, seguindo-se nos restantes dias um importante conjunto de eventos que até ao momento se configuram no seguinte programa:
Dia 25:
- Concurso de Pesca Embarcada de Alto Mar, em Embarcações de Recreio, organizado numa parceria entre o Clube Naval Setubalense e o Grupo Desportivo Os Amarelos, com o apoio da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva de Alto Mar (FPPDAM)
- Workshop de Pesca à Pluma, dinamizado pelo José Rodrigues, do site http://www.segredosdapluma.com(inscrições gratuitas).
Dia 26:
- Workshop de Jigging Vertical, dinamizado pelo Jigging Clube de Portugal, com componentes teóricas e práticas, em terra e no mar e com o apoio da loja Farol do Sado, em Setúbal (inscrições gratuitas).
- Workshop de Pesca Embarcada de alto Mar, dirigido a cidadãos com necessidades especiais e dinamizado pela FPPDAM, através do seu projeto PARAPESCA, em parceria com a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Setúbal, com o apoio da Casa Pita.
- Workshop de Pesca Grossa (Big Game Fishing), dinamizado pelo Big Game Clube de Portugal (inscrições gratuitas).
Dia 27:
- IV Open de Pesca em Kayak, dinamizado por um grupo de voluntários praticantes da modalidade, com o apoio da Comissão Organizadora dos Jogos do Sado e da FPPDAM.
- Campeonato Nacional de Pesca de Alto Mar em Embarcação Fundeada, 3.ª Divisão, organizado pela FPPDAM.
Outros eventos, a decorrer durante o período da feira:
Para além dos eventos já programados, serão mantidos pela Associação Nacional de Pescadores Lúdicos e Desportivos (ANPLED) e pelo Clube de Amadores de Pesca de Setúbal (CAPS), workshops de pesca apeada, abertos e gratuitos, dirigidos aos mais jovens que só terão de chegar e começar a aprender os segredos desta pesca nas vertentes de fundo, corrico, spinning e boia.
A AQUAMASTER, escola náutica de Setúbal, irá também dinamizar batismos de mergulho.
A maioria dos eventos vão realizar-se, ou serão finalizados, no recinto da feira.


quarta-feira, 19 de março de 2014

Fomos aos chocos ............!!!!



Com o bom tempo que tem feito e com uma promessa por cumprir desde o ano passado , fui convidado para ir fazer uma pesca de barco aos chocos a Setúbal.
Lá combinamos eu mais 2 amigos e saímos bem cedo rumo á capital do choco.
Chegados a Setúbal  esperamos vez para pôr o barco na água ,  como a maré estava vazia  dificultava um pouco pôr os barcos na agua, mas toda a gente se ajudava  e a coisa foi fácil.


Estava um dia de sol , corria uma brisa ligeira, já havia algumas dezenas de barcos na faina.
Como principiante nestas andanças fui o primeiro a tirar um choco. Levei uma linha de mão e uma cana  , os meus amigos queriam que pescasse com as duas coisas ao mesmo tempo , mas eu não me ajeitei. Eles já estão habituados , mas de vez em quando enleavam as linhas um no outro e era uma grande confusão de fios . Eu preferi a cana .


 Realmente a pesca de barco é diferente para quem está habituado a pescar de costa , têm se uma vista diferente é muito fixe.



















Com o passar do tempo lá iam saindo uns chocos e uns polvos nada de extraordinário , em conversa com um profissional que andava á pesca disse que o choco este ano ainda não entrou com força , mas dá para matar o vício .
O dia estava a ficar bom o vento nem se fazia sentir e o calor apertava , andando de um lado para o outros ia mos apanhando , o Carlos ainda apanhou um bom com cerca de 3 Kilos .. belo choco.


Porque na vida todos têm obrigações cerca das 13h30 demos a faina por concluída com promessa 
de lá voltarmos ……………………………..um belo dia .


                                                               Foto da pescaria: